O rato gordo e o rato magro

Era um moleiro, num moinho de água, tinha lá uma casinha e um gato, um gato já velho, gordo.

E então estava lá um rato avezado ao trigo, estava gordo, comia e bebia. Um dia, o rato foi dar uma voltinha ali ao mato. Encontrou outro rato, um rato muito magrinho:

– Então? Estás tão magro…

– Então não hei-de estar! Não tenho nada para comer. E tu, estás tão gordo?

– Vivo no moinho!

– No moinho? E então?

– Tem fartura de trigo, milho. Faz farinha! Como e bebo…

– E então não há lá nenhum gato?

– Está lá um gato velho, gordo, leva os dias deitado, dormindo. Não há problemas com o gato, nem tão pouco dá por nada. Havias de lá ir comigo, tinhas uma refeição, comias lá.

– Então vamos!

Foram até lá. Entraram no moinho, diz o rato magro para o rato gordo:

– Aonde é que está o gato?

– Está dormindo.

Lá estiveram comendo e bebendo, farinha e trigo e tal e tal, diz o rato magro:

– Agora já estou bem, o pior é o gato.

– Não. Eu passo lá ao pé e já vês como é.

Passou ao pé do gato e, tau!

Ficou na boca do gato, o outro fugiu.

Olha, mais vale o magro no mato, que o gordo na barriga do gato.

Manuel Cipriano

Corte da Velha

29 de Setembro 2020

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Comentários recentes

Arquivo

Categorias