As curas

Havia uma senhora que estava muito doente, muito doente. Não sabiam o que tinha, o marido dizia, o que havemos de fazer, já corremos os médicos todos. Ao lado, uma pessoa disse, em tal sitio há um homem que trata dessas doenças assim remédios caseiros e até muitas vezes pode dar resultado. E então disse a mulher, eu vou experimentar, vamos lá disse o marido.

Quando chegaram, falaram com o senhor que disse, tenho que tratar desta senhora mas de uma maneira especial, uma maneirazinha especial, virou-se para o marido e disse, o senhor abala agora daqui, vai aí ao mato e traz um feixe de rosmanos. O homem abalou, trouxe o feixe de rosmanos, o outro disse para fazer uma cama de rosmanos e disse, a senhora agora deita-se aí nessa cama para eu começar a fazer as suas curas. O homem começou a fazer curas, começou a esfregar os braços nos rosmanos, dava-lhe a volta para o outro lado esfregava-lhe as costas, ia dando assim voltas, começou a esfregar com os rosmanos na barriga, depois debruçava-se para cima dela e dava-lhe volta para o outro lado. Bem, a coisa já ia estando assim muito séria, o marido desconfiou:

– Hee! Meu amigo, a medicina caseira já acabou!

A mulher levanta-se toda malina, a sacudir-se, e diz assim:

– Maluco! Malvado! Agora que me ia sabendo a boca a rosmano é que tu não podias estar sem falar.

Xico Zé

Ledo

1 de Setembro 20

[ Quanta malícia]

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Comentários recentes

Arquivo

Categorias