A cama da noiva

Era no tempo dos mouros, contava a minha avó, ali na Graciosa havia muitas pedras que era onde eles moravam.

Uma namorava um moço e o pai não queria que eles namorassem, queria que ela casasse com outro mouro. E então ela fugiu com aquele de quem ela gostava, foram para o moinho da Rocha e fizeram lá a cama no cerro, a Cama da Noiva e era São João, cedo, antes de nascer o sol, ouviram os cavalos dos pais dela e abalaram a fugir no cavalo em que tinham fugido e o cavalo tropeçou numa rocha, caíram e eles morreram, Os pais dela tinham ordenado aos seus vassalos que a queriam morta ou viva, queriam-na lá de qualquer jeito, eles depois levaram-na morta.

Tanto que diziam que na manhã de São João, antes de nascer o sol, aparecia ali uma noiva mais um rapaz, com uma joeira cheia de ouro, e um dia pela manhã andava ali um moioral e ela apareceu cheia de lampas brancas e ela ofereceu-lhas, ele tirou só duas, meteu-as na mochila e ao meio dia foi para ir a comer e estavam lá libras, e ali era onde era a casa deles, onde eles tinham as coisas.

Maria Bárbara

Diogo Martins

4/6/21

 

[ Esta é uma história local de Diogo Martins, contada pela senhora Maria Bárbara, Aqui aparece a palavra lampa, frutos, como os figos de São João que se dizem ser os lampos.]

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Comentários recentes

Arquivo

Categorias