Romance da Bela Infanta

Estava a bela infanta

No seu jardim sentada

Com um pente de ouro fino

Seus cabelos penteava

deitou os olhos ao mar

viu vir uma grande armada

capitão que nela vinha

muito bem a governava

Dizei-me vós capitão

Dessa tão formosa armada

Se viste meu marido

Na terra que Deus pisava

Anda tanto cavaleiro

 naquela terra sagrada

dizei-me vós senhora

os sinais que ele levava.

Levava cavalo branco

Selim de prata dourada

Na ponta da sua lança

A cruz de Cristo levava.

Pelos sinais que dizeis

 tal cavaleiro não vi

Que darias tu senhora

A quem no trouxera aqui

Ai daria tanto dinheiro

Que não tinha conto nem fim

As telhas do meu telhado

Que são de ouro e marfim

Guardai lá o vosso dinheiro

As telhas de ouro e marfim

Vosso marido aqui está

Reparai bem para mim

Este anel cheio de pedras

Que eu contigo reparti

Que é da outra metade

Pois a minha estava aqui

Vinde cá minhas filhas

Que vosso pai é chegado

Abra-se o seu nobre portão

Que há tanto tempo é fechado.

Vamos dar graças a Deus

 ao senhor Deus consagrado.


Maria da Encarnação

São Pedro de Sólis

10 de Setembro 2020

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Comentários recentes

Arquivo

Categorias