Fui um dia ver os prados

Fui um dia ver os prados

Nos lindos prados pastando

Vi lindas vacas e bois

E pássaros de dois em dois

Com suas vozes cantando.

Em a primavera chegando

É lindo como se vê

Deus das ciências errei

Pelo poder que nos mostra

Para ver a terra composta

Fez-me parar e olhei

Eu vim decerto saltar

Sob os campos reverdidos

Vi lindos gados no trigo

Sob os campos a pastar

Ouvi as aves cantar

com a maior delicadeza  

Vi na terra a beleza

Bem composta de rosinhas

Bois ovelhas cabrinhas

Muito pode a natureza

Vi os matos em flor

Todas as flores brilhando

Vi o arvoredo lançando

Os seus rebentos com vigor

Pus-me a dar bem o valor

Comigo próprio julguei

Quem estabeleceu esta lei

Tem grande poder de fundo

Para ver o jardim do mundo

Pus-me parado e olhei.

António Castanho

Vargens

19 Agosto 20

{Foi neste recanto do monte das Vargens que o António Castanho leu este poema, atento ao mundo contemplativo das coisas do campo e da natureza]

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Comentários recentes

Arquivo

Categorias