Artes Performativas Comunitárias

 

Programa de mediação cultural e artística que promove o acesso às artes performativas – teatro, movimento, voz, artes circenses, dança, performance – enquanto exercício transdisciplinar e construção comunitária.

 

Esta proposta surge na sequência do projecto de Boca em Boca e do desafio, apresentado pelo Município de Mértola no âmbito da estratégia Mértola, Laboratório para o Futuro(1), para:

: contribuir para a construção de uma estratégia de mediação e literacia cultural;
: participar num processo que se desenvolva em continuidade;
: pensar uma estratégia para este território, que abranja mais do que o Município de Mértola, significando que este não será apenas um projecto do Município;
: trabalhar em rede com outros/as mediadores/as, num grupo que se pretende ir alargando a um maior número de pessoas e entidades.

Considerando isto, e de acordo com acções concretas de intervenção propostas pelo Município de Mértola, propõe-se:

 

A

_ ACÇÃO – INVESTIGAÇÃO – REFLEXÃO

Desenvolver um programa de acção, investigação e reflexão que proponha estratégias para a promoção das artes performativas no Concelho. O diagnóstico da cultura apresentado pelo Município, será complementado com um levantamento das necessidades, desafios e potencialidades do território. Para além das propostas de acção que se descrevem abaixo, para implementação imediata, serão apresentadas outras acções para realização futura, como será o caso das residências de artistas, espaços de criação para artistas da comunidade, estruturas de apoio a artistas emergentes e produção de eventos.

B

_ TRABALHAR EM REDE

Contribuir para a construção de uma rede de agentes locais que desejem trabalhar em parceria na implementação de estratégias de mediação cultural e artística nas diversas áreas.

] ENVOLVE [
[Conhecer os recursos existentes no território]
[Participar e promover reuniões e encontros informais]
[Participar em conferências e formações]
[Acompanhar e assistir e participar em projectos e acções da rede]
[Partilhar saberes, experiências, referências, contactos, recursos]
[Articular programas e acções]

 

C

_ PROMOVER O ENCONTRO

Desenvolver contactos e acções para trazer ao território outros/as agentes culturais e artísticos/as com os quais se pode aprender e trocar experiências, nomeadamente aqueles/as que desenvolvem trabalho artístico de proximidade à comunidade.

] ENVOLVE [
[Conhecer o trabalho artístico de proximidade que se realiza actualmente]
[Estabelecer uma rede de contactos]
[Fazer reuniões para estudar a viabilidade das propostas artísticas a realizar]
[Apresentar ao Município propostas de programação artística de proximidade]
[Acompanhar a realização das actividades]
[Avaliar o impacto das acções]

 

D

_ GRUPO COMUNITÁRIO DE ARTES PERFORMATIVAS

Contribuir para a criação de um grupo de artes performativas no Concelho, de raiz comunitária, através da facilitação de uma Oficina de Teatro. Com sede no Cine-teatro Marques Duque, o grupo terá acesso, para além da oficina que decorrerá em continuidade, a formação nas áreas do teatro, movimento, voz, artes circenses, performance, a calendarizar.

] ENVOLVE [
[Conceber um programa de formação em continuidade em artes performativas dirigido ao grupo e a
outros participantes pontuais]
[Articular trabalho com outros artistas]
[Facilitar uma oficina de teatro uma vez por semana]
[Divulgar e promover actividades]
[Dinamizar o grupo atendendo às características, expectativas e disponibilidades das pessoas
envolvidas]
[Articular com o projecto De Boca em Boca, nomeadamente, no que respeita ao trabalho sobre a
tradição oral, a oralidade e a narração]

 

E

CORPO QUE CONTA – Oficinas para respigadores e Respigadoras de histórias

Parte do desafio proposto pelo Município para o desenvolvimento de um projeto-piloto de Actividade de Enriquecimento Curricular, no lectivo ano 2021/2022, dedicado às artes performativas comunitárias tendo por inspiração o projeto De Boca em Boca e o universo dos contos, em articulação com o Plano Local de Leitura, e pretende:

. Promover junto das crianças a prática da escuta e da narração oral;

· Realizar com as crianças a recolha de contos e histórias, em articulação com os membros seniores da sua família, no âmbito do Clube de Respigadores e Respigadoras de Histórias [https://debocaemboca-mertola.com/projectoeactividades/clube-dos-respigadores-e-respigadoras-de-historias/];

· Propiciar experiências de expressão e criação em artes performativas, através da exploração de diferentes linguagens artísticas (leitura em voz alta, teatro, movimento, voz, entre outras);

· Promover a fruição cultural e o contacto com espaços culturais, estruturas, artistas e outros intervenientes na criação e produção artística, em Mértola ou em outras localidades;

· Desenvolver um trabalho regular que permita a realização de uma ou mais apresentações de projectos artísticos à comunidade.

] ENVOLVE [

[Facilitar a Oficina Corpo que Conta 1 vez por semana, na Escola Básica do Algodôr]

[Articular trabalho com outros mediadores e artistas que trabalham com o mesmo grupo de crianças]

[Articular trabalho com outros mediadores e artistas que trabalham noutras escolas com vista à partilha de experiência e criação de eventuais projectos partilhados]

[Articular trabalho com a professora da turma, e o agrupamento, tendo em consideração o Projecto Cultural de Escola]

[Articular com o Plano Local de Leitura, nomeadamente, com a acção a desenvolver 1 vez por mês pela Cristina Taquelim]

[Articular com o projecto De Boca em Boca, nomeadamente, no que respeita ao trabalho sobre a tradição oral, a oralidade e a narração]

[Promover o contacto com a família no sentido da aproximação às histórias e contos escutados nesse  contexto]

[Preparar e acompanhar visitas a espaços culturais e a participação em actividades artísticas fora da escola]

[Facilitar a criação de uma apresentação final do trabalho da oficina Corpo que Conta]

 

(1)Estratégia que propõe ‘reunir várias áreas de intervenção para reflectir e pôr em prática soluções estruturantes com vista à resolução de problemas da comunidade’

Rita Sales

O teatro vivo somos nós

Fizemos ontem o primeiro encontro com vista à criação de um grupo comunitário de artes performativas, em Mértola. Começámos com

Ler mais... »